17 de mai de 2009

A SINCERIDADE


Mesmo que eu tropece em injúrias rubricadas
com almofadas galopantes e foices enjauladas
por tropas instigantes freqüentemente desvairadas,
e fizesse um certo tipo que fizesse de suas tripas,
todas elas, torrentes de poesias temperadas ou
corrente de orações estrategicamente tensas,
mesmo que pela noite os dias e as areias
se enfrentem numa série de banquetes cintilantes
no mormaço obscuro encharcado de torpedos
suplentes de uma guerra comovida e solitária
adentrando a história dita mágica e surpresa
-e também tola, e também alta-
de gesto evasivo e temperamento abstrato
perturbada pela gravidade do vazamento adjacente
peculiar entre as piadas finas e empoeiradas e tímidas
entre as pias fortes na falta de água imunda
perante metais cardíacos, límpidos, transparentes,
promovidos a nobres infantes corrosivos do amor,
mesmo que eu durma no exato momento
onde queimam-se velhos trópicos musicais,
escalados para o grande e derradeiro golpe
no truque irrelevante do mistério retroativo
carregado de emoções e lembranças
púrpuras e virtuais a primeira vista
-tão belas. Tão perigosamente belas... -
e que nesse mistério se degradem meus sonhos
aclamados pelo tempo no auge da madrugada,
mesmo que eu me empolgue e cesse a cantoria,
ou mesmo que eu disperse na amplitude do infinito
meu pêndulo seguirá sua intuição mesmo assim.
E beijará sabiamente as frutas pelo inverno próspero,
ainda que inconformado ante a indiferença alheia
na despedida do amor talhado a mão no caos divino.
Do contrário não há sequer perguntas a pedir,
nem flores a jurar, nem jatos a seguir,
nem adornos, nem erupções mecânicas;
só há a hipótese, o cigarro, o rigor, as mulheres;
trajes da vida na redenção total dos fatos.

Um comentário:

  1. Fantásticooo, Niterê!!!
    Fiquei até orgulhosa de ter um amigo tão artista assim!!!
    É isso aí, não deixe que esse dom adormeça nunca, ok?
    É essa "sinceridade" que te leva em frente e não deixa parar...
    Amei!
    bjos

    ResponderExcluir